1 comentário:
De dragão Vila Pouca a 16 de Abril de 2009 às 22:58
Não sou adepto de vitórias morais, mas também não sou de chorar sobre o leite derramado. Assim como não embandeiro em arco nas vitórias, não dramatizo demasiado as derrotas.
Estou orgulhoso do trajecto do F.C.Porto na C.League e muito contente por verificar o crescimento desta equipa, que na fase de grupos, chegou a dar a ideia de não ter capacidade para ir mais longe. Eramos o adversário preferido nos oitavos-de-final e eliminamos os espanhóis do Atlético, que ficaram surpreendidos com a nossa qualidade.Voltamos a ser o adversário preferido nos quartos-de-final e discutimos até ao último minuto, da segunda-mão, com o Campeão da Europa, do Mundo e de Inglaterra, a passagem às meias-finais e mais do que isso, no conjunto das duas mãos, não fomos inferiores. Espero sinceramente, que os profissionais do F.C.Porto tenham o mesmo sentimento que eu tenho, não se sintam tristes, desiludidos e muito menos, abatidos. O sonho acabou, mas não acabou a época e há uma Liga e uma Taça para conquistar.

Em Coimbra, no próximo Domingo, tenho a certeza que os adeptos portistas vão acorrer em massa e manifestar todo o carinho e apoio, à equipa, dizendo-lhe claramente, que nos sentimos orgulhosos por tudo que foi conseguido até aqui e dizendo-lhe também, que estarão do lado dela nesta fase importante da temporada, para a ajudar, com a sua presença, a atingir as vitórias necessárias para a conquista dos grandes objectivos desta época: o Campeonato e a Taça de Portugal.
Sobre o jogo, não posso deixar de dizer que esperava mais. Da equipa, mas também, de alguns jogadores, que hoje, não corresponderam às expectativas: Hulk, C.Rodriguez, principalmente, não jogaram nada, o que juntamente com a lesão de Lucho, fez o F.C.Porto, ficar aquém do rendimento esperado. Entramos mal no jogo, acusamos demasiado a responsabilidade, não fomos tão competentes, como temos sido e isso, contra equipas como o Manchester, é a morte do artista. Na primeira-parte então, foi o Porto do início de época que esteve em campo e não aquela equipa que surpreendeu a Europa.

Melhoramos um pouco no segundo período, mas ficamos longe, mesmo assim, do que já mostramos. Era preciso um Super-Porto, com todos no máximo das suas capacidades e hoje no Dragão, isso não aconteceu.

Nota final: o Manchester ontem, foi uma grande equipa e principalmente, uma equipa que fez valer a sua grande experiência. Defendeu exemplarmente e depois, teve em Anderson, um pivô que dinamizou todo o jogo da equipa. Tem jogadores com uma dimensão, que o F.C.Porto não tem, mas mesmo assim, não ganhou a eliminatória, da forma como esperava e teve de sofrer muito. É o melhor elogio que se pode fazer ao F.C.Porto.

PS- Hulk: espero que alguém coloque o Givanildo na ordem pois ele está a ter comportamentos de prima-dona e a discutir mais que a jogar. Está aliás, a ficar parecido com o pior Quaresma, o que não é bom augúrio.

A lesão do Lucho de facto é mais um grande contratempo, mas vai haver alguém que vai dar um passo em frente e depois, o azar de uns, às vezes é a sorte de outros.

Um abraço

Comentar post